pelos 30!

domingo, 13 de junho de 2010

O vazio de um silêncio rackeado...



>>> Oi você,

Eu vivi 10 dias de angústia por um motivo muito cruel: invasão de hackers! Isso mesmo. Não tenho outro argumento senão culpar alguém que tenha agido ou levado um programa a agir com tamanha maldade, senão má fé.
O fato é que, no dia 26, postei o texto abaixo e, devido a uma viagem, só pude acessar ao Mémoires de ses 30 ans no dia 1º de junho quando li o comentário do Getulio Fernandes do  Mundo do Gê, que escreveu - como sempre tão prestativo - para deixar um selo comemorativo. Fiquei feliz, mas, no momento, como estava prestes a partir, não teria tempo para lhe responder, muito menos receber a bela homenagem. Deixei para quando voltasse três dias depois.
Estando no hotel, no dia seguinte, tentei acessar este blog sem logar e vi mais um comentário, desta vez era do Jefhcardoso. Como tinha um tempo livre, pensei em lhe responder logo, mas precisava entrar com a senha: veio o susto! O administrador do Google avisa: “esta conta foi excluída!” Como assim? - eu disse. Tentei novamente, poderia ser erro de senha... estranho! Por que não apareceu a mensagem “O nome de usuário e senha digitados são incorretos”? Tentei novamente, nada certo. Tudo estava correto, mas a mensagem nova persistia: “esta conta foi excluída”.
Então a opção era tentar pelo próprio site do Blogger. A angústia aumentou quando constatei outro aviso: este blog foi removido e seu endereço está indisponível no momento (não era bem estas palavras, mas a ideia).  Como não sou nada versado nestas questões que envolvem privacidade e violação de direito público ou privado na internet, crimes na rede ou infração on line, procurei um amigo para me orientar. Ele me disse que ou o blog teria sido vítima de hackers ou eu havia violado os direitos autorais de alguém e, por isso, a Google resolvera suspender a conta temporariamente. Impossível ser este segundo argumento, afinal me preocupo muito com essa questão. Todos os textos verbais são de minha autoria, algumas fotos são do arquivo pessoal, outras encontro em sites dos quais faço questão de citar a fonte incluindo símbolos, charges e outras imagens que eu venha a usar como esta posta acima.
Tentei escrever à Google, procurar explicação, mas, antes disso deveria estudar sua política, suas normas. Não tinha tempo para isso ali no hotel. Mas em todas as oportunidades que tive durante estes dez dias para acessar a página, não lograva êxito. Deixei para quando voltasse com mais tempo e paciência para pensar.
Hoje, felizmente, através do sistema de envio de código ao celular (um novo procedimento da Google), consegui recuperar a conta e, consequentemente, salvar uma nova senha. De imediato, vi um email (sem título no “Assunto”) de um contato estranho em resposta a mim, desde o dia 4, dizendo que eu havia lhe enviado um vírus, mas, por sorte, o antivirus de sua empresa o havia alertado imediatamente. Ele parecia enfurecido em apenas três linhas.
Consultei o arquivo “enviados”, mas nada havia! Fui à lixeira e uma surpresa: um email de minha conta havia sido encaminhado a vários contatos desconhecidos com nome de universidade, empresas, etc. com apenas um endereço de site de terminação “.us”.  Pensei um pouco e logo entendi que “o(a) espertinho(a)” havia entrado na conta, enviado o tal site aos contatos, apagado a mensagem na caixa de “emails enviados”, que foi parar na lixeira para a minha salvação. Como mentira tem perna curta, e a linguagem é o único caminho responsável para desmascará-la, pude ter de volta o Mémoires. Segundo a política de segurança da Google, jamais eu o recuperaria se o infrator tivesse excluído texto por texto e depois o site todo. Mesmo assim o endereço do site eu poderia resgatar, a menos que alguém o ativasse com novo email.

A maior angústia: Pelo que muitos leitores já perceberam, especularam, questionaram etc., este blog é um gênero com características muito diferentes daqueles que estamos acostumados a ler neste mundo virtual; mas também é parecido com vários outros gêneros. Eis aqui o paradoxo: ora pensa-se que é um diário, ora um espaço de publicação de contos; ora vê-se muito parecido com outro blog que se leu não se sabe quando nem onde; ora como um romance, cuja trama vai levando o leitor para espaços macabros como aqueles habitados por muitos de nós, isto é, dentro de nós mesmos. É um romance? Em verdade, não sei! Há quem diga que aqui se vê ficção e realidade. E eu pergunto: qual o limite entre a ficção e a realidade no que podemos viver?
Diante das agruras provocadas pelo desgraçado do hacker, tive alguns pensamentos bastante desconfortáveis, que me entristeceram nestes 10 dias: pensei que nunca mais poderia achar e ler os blogs que acabei pondo na lista aqui ao lado; pensei que nunca mais poderia ler os comentários tão felizes e somadores como os de Getúlio, Rafael, Zélia; achei que não mais teria a oportunidade de ler os poemas dela, afinal não havia gravado o endereço; imaginei que não poderia acompanhar as narrativas de JefhCardoso e as belas crônicas diárias do estagiário Renato Orlandi no Rê Confessions. Pensei também que Luis Fabiano, Clenio, Cristiano, Rafa do Rio, Douglas, Paulo, Mary, Marcelo Cajuí, Leca, Germano e muitos outros - que, às vezes, passam por aqui - iriam pensar que o Petro havia excluído o Memoires e resolvido se atirar de um prédio de 20 andares, depois que entrou em crise com se pode ler no texto abaixo. E pior ainda: a maior angústia é pensar que, no final das contas, muitas destas pessoas nem sequer sentiram falta do silêncio hackeado, e se perceberam tal sausência logo depois esqueceram e o vazio vai se preenchendo com outras coisas, outros blogs, novas pessoas... outras memórias neste mundo internético. 
Enfim, a angústia de ser violado, de ser roubado, de ser corrompido, de ter as ideias vetadas, de não poder mais ler nem ouvir o outro, falar nem escrever... tudo isso é muito ruim, mas mesmo assim  acho que eu não perderia a vontade de fazer aquilo que sempre sonhei: contar as Mémoires de ses 30 ans!

Gente, obrigado mesmo por ter vocês de volta em minha caixinha de “badulaques”.
Ressuscitei... de verdade!

Petro

14 comentários:

  1. Petro, meu querido
    Imagino o sufoco que foi!
    Compreendo-o perfeitamente. Ora, vamos nos apegando uns aos outros de forma tal que nos tornamos uma família. Além disso, tanto escrever no nosso espaço, quanto ler nos outros, vai se tornando algo indispensável. É uma troca muito salutar, essa. Não consigo me ver numa situação assim...
    Lamento profundamente que você tenha passado por experiência tão angustiante e regozijo-me com o fato de ter sido feliz o final.
    Bem, estamos todos aqui, juntos, outra vez... Que bom!
    E já que estamos em clima de copa do mundo: bola pra frente!
    Muito grata pela simpática referência ao meu nome, meu amigo.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Noooossa! Que história assustudora. Você tem idéia de como foi que esse Hacker roubou sua conta? Atráves de algum arquivo que vc abriu indevidademente? Porque é assustador pensar que estamos tão a mercê assim...

    E tenha em mente uma coisa, na net tudo é muuuuito rápido e as pessoas te esquecem em fração de dias. É impressionante como aquilo você pode ser ídolo e uma semana depois ninguém quase lembrar que tu existe... Até post sobre isso já fiz...

    Fica o seu alerta nesse sentido do perigo que corremos!

    Beijocas e bom retorno!

    ResponderExcluir
  3. Pois é, me parece que renasceu das cinzas, tal qual uma Fênix que ressurge...Bom Petro, vamos lá, você em sua postagem fala que talvez os seus seguidores não tenham sentido sua falta, ou nem sequer notado que você "havia sumido", na verdade só posso falar por mim, melhor por mim e pela Mary com quem até comentei que havia deletado seu blog...Foi o que pensei, que havia delatado, excluído suas memórias, e até comentei com ela que havia ficado irritado, pois não havia sequer notificado que iria deletar seu blog, por motivo que fosse, afinal o blog é seu, mas que ao menos compartilhasse essa decisão com seus seguidores...
    Bom,me desculpe pelo julgamento precipitado que fiz, mas sem ter outra forma de comunicação com sua pessoa, só me restou concluir que havia deletado seu blog e seus seguidores juntos, pensei em postar algo sobre o assunto no Mundo do Gê, mas como vc não iria ver, nem ler, acabei por desistir...
    Mas saiba que sua ausência foi sentida...E agora que estás de volta seja bem-vindo nesse seu retorno...O Mundo do Gê, está e sempre estará de portas abertas para você meu caro amigo!E lembre-se:

    Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.

    Antoine de Saint-Exupéry

    Um abração!
    GÊ!

    ResponderExcluir
  4. Caro Petro,

    Primeiro agradeço a sua boa vontade de responder a um post com tamanho entusiasmo, esforçando-se nos erros gramaticais para demonstrar sua opinião, contraria a minha, de forma educada e coesa.
    Os erros citados no post são os mais comuns da nossa língua, e de forma alguma elas mencionam regionalismos do nosso idioma, espalhados em dialetos por nosso imenso território.

    Quando quero falar de erros gramaticais, concordâncias verbais, não cito índios, pessoas de vilarejos em qualquer ponto do nosso país, negros que carregaram nosso idioma de simbologismos como o próprio “vosmicê” em séculos passados, quero falar daquela pessoa estudada, formada, que muitas vezes falam pra multidões, carregado de erros de concordância. Você deve aceder que quanto mais se propagam erros e cacoetes da língua pior ficam os textos, por que em algum momento a pessoa carregada falhas gramaticais terá que redigir uma dissertação, um bilhete que seja, por isso se policiar nos erros é uma forma de falar o nosso idioma dificílimo de maneira mais coerente.

    A falta de uso da nossa língua clássica não da o direito de muitos assassinarem o nosso idioma. É para esse tipo de pessoa que o post foi escrito, não para os que construíram a nossa gramática cheia de termos e vocábulos populares que se fixaram no dicionário como regionalismos ou língua coloquial.

    Não há por que sentir-se ofendido, por que em momento algum foram citados grupos, etnias, ou comparações jocosas. Quando falamos em Tarzan, é sobre o personagem fictício, que não alfabetizado tem dificuldades de comunicação, e de forma alguma menção a índios do nosso país.

    Não há necessidade de ler tantos autores como mencionou, basta conhecer a obra de Jorge Amado e seus personagens pitorescos quase que com idioma próprio. Muito do que criou, faz parte do nosso cotidiano, está em nosso dicionário.

    Agradeço sua participação no blog, seu comentário carinhoso no outro post, e digo que esse espaço é democrático para que possamos expor nossas idéias, e compreender bem meu blog, verá que sou averso a preconceitos sejam eles de qual natureza se mostrar.

    Quanto aos meus erros de português, gramáticas ou sejam quais forem, muitas vezes se devem a rápidas postagens, sem muito apego a escrita e sim ao conteúdo, e sendo eu brasileiro, tenho direitos em não dominar totalmente o idioma, por ser ele um dos mais difíceis do planeta. Se fosse formado em línguas, um doutor em idiomas poderia sim me punir por tais erros, mas sou apenas um cidadão que escreve o que pensa infelizmente sabedor de que não se agrada a gregos e troianos. este comentário pode estar carregado de erros...rs.

    Mais uma vez obrigado pela visita, e espero que volte mais vezes, pois é um prazer receber pessoas inteligentes no meu espaço...

    Abraço, e bom domingo.

    Os.: Muito obrigado pela citação ao meu blog no seu texto, me lisonjeia.

    ResponderExcluir
  5. "invasão de hackers!"

    Na verdade eles andam aí.

    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Oi, tentei comentar aqui no inicio da tarde, mas pelo jeito não entrou...
    Em todo caso, seja bem-vindo novamente e saiba que senti sua falta, sim, senhor.
    Grande abraço!

    Clênio
    www.lennysmind.blogspot.com
    www.clenio-umfilmepordia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Nossa, imagino como tenha sido ser assaltado desta forma!
    Roubar as palavras e as criticas...Irreparável!
    Eu outro dia, mudando o nome do blog, perdi os comentários por um unico dia, fiquei desesperada...
    Bem vindo ao seu Blog!
    Espero que isso não aconteça com mais ninguem!!!
    Abs

    ResponderExcluir
  8. Está chegando a hora, não consigo pensar em outra coisa; é o Brasil de chuteiras, é o Brasil torcedor que me toma por completo. Um senhor me disse: _Ganhando ou perdendo a gente não ganha nada mesmo. E eu respondi: _Ganhamos. Ganhamos emoção e assunto e, muito assunto. Abraço e ótima torcida para você!

    Voltarei com calma e tempo, estive em viajem e estou dando este alô geral como agradecimento a atenção dispensada ao meu blog. Grande abraço, Petro!

    ResponderExcluir
  9. Olá... estou seguindo o seu blog, gostei e vou continuar ser seu sgidor. Siga tambem os meus em:

    www.congulolundo.blogspot.com
    www.queriaserselvagem.blogspot.com

    Lhe pesso, sempre que possivel deixe seus comentários, pois será muito bom para levantar o meu astral que anda muito em baixo. Agradecia que le-se um artigo do mês de Jaaneiro, em queriaserselvagem, que se intitula "Minha luta" e deixe o seu comentário.

    Lhe agrdeço e vamos ser seguidores um do outro.

    Um grade abraço e... toca a blogar.

    ResponderExcluir
  10. Nossa, isso sim que é medão
    se eu perco minha vida (trocadilho tosco com o nome do meu blog) eu ficaria muito triste.
    Que bom que voltou.

    ResponderExcluir
  11. Petro meu caro amigo, tenho selo pra vc!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Obrigada...
    pelas gentilezas deixadas
    por você lá no meu blog...
    Depois de longa ausência...
    voltei...
    Beijos floridos e belos...
    Leca

    Que mundo cruel...não?

    ResponderExcluir
  13. Oi. Muito obrigado pela consideração!!! Espero que esse tipo de coisa não aconteça, imagino o desespero/raiva... OMG!

    ResponderExcluir
  14. Oi Petro, obrigado também pela menção ao meu Blog, mas quero comentar um trecho do post. Precisamente este: "E pior ainda: a maior angústia é pensar que, no final das contas, muitas destas pessoas nem sequer sentiram falta do silêncio hackeado". Vou falar por mim. Não é que eu não sinta falta de um blog da minha rede que foi hackeado, silenciado, mas nem sempre podendo fazer a "ronda" como costumo chamar, ou seja, a visita aos blogs, fica difícil saber, mas o sentimento da perda existiria de qualquer forma, mas ainda bem que isso não aconteceu, né? Sobre o post, no meu blog: fiquei indignado com a visão limitada que alguns norteamericanos tem de nós latinos e ainda estão usando o futebol para nos depreciar. Eu tenho um trabalho aí em São Carlos, mas vou tentar, claro, à medida do possível, levar para locais públicos e, claro, você está convidadíssimo para conhecer. Uso pouco o Twitter mas vou ficar de olho em você, por lá. Abração e ótimo feriado!

    ResponderExcluir

Comente na casa dos 30